Fazer pão caseiro: sim ou não?

Fazer pão caseiro: sim ou não?

Não há nada melhor do que acordar com o cheirinho do pão acabado de fazer. Qual será a melhor forma de fazer pão? Com máquina ou à mão?


Eu sou fã da minha máquina de pão e já não podia viver sem ela!

Mas, há pessoas que acham que o investimento numa máquina de pão é um autêntico desperdício!

Eu tenho várias razões para não estar de acordo. Para além do cheirinho bom, tem outras vantagens, como amassar e levedar massas para pizas ou outras preparações como brioches e pão recheado.

Além disso, existem no mercado diversas farinhas preparadas para a máquina de pão à qual é apenas preciso juntar água. Podemos fazer pão branco, rústico, de sementes, de soja, brioche. Basta escolher entre os diversos tipos e marcas.

Quem acha que a máquina do pão gasta muita energia, fique a saber que por cada ciclo de cerca de três horas a trabalhar – o que é em média o tempo de fazer um pão – gasta um pouco menos de 0.25€, o que não me parece assim um gasto tão grande.

Registration

Torne-se membro do Para Mim e beneficie de ofertas exclusivas

Torne-se Membro

E já agora deixo-vos uma sugestão para rentabilizarem as vossas farinhas preparadas. No modo de preparação dizem sempre para juntar 500 g da farinha com uma determinada quantidade de água. Para a próxima experimentem o seguinte: juntem apenas 250 g de farinha preparada com 250 g de farinha normal sem fermento e a quantidade de água indicada. Podem ter a certeza que fica bem e é uma maneira de rentabilizarem mais as farinhas preparadas juntando-lhe uma farinha bastante mais barata.

Isto significa que de um pacote de farinha preparada conseguem fazer quatro pães de 750 g e, com o gasto da máquina incluído, cada pão caseiro ficará a cerca de 0.80€. Continuam a achar que não compensa o investimento?

Para quem acha que não compensa o investimento, podem sempre preparar o pão à mão da maneira tradicional. O custo é também relativamente pequeno, mas certamente que gastam um pouco mais de eletricidade com o forno. O resto é apenas nas farinhas e fermento e algum “gasto” de tempo, porque têm de respeitar nas diversas receitas os tempos de levedar e amassar o pão, o que normalmente é demorado.

Apesar de usar a máquina de pão com muita frequência, há alturas em que prefiro fazer o pão da maneira tradicional. Porque é diferente, porque é também uma forma de aliviar o stresse e porque um pão feito da maneira tradicional não tem nada a ver com o pão feito na máquina.

No entanto continuo a achar que a máquina de pão dá mesmo muito jeito. E sou mesmo fã do pão caseiro! Quem mais é fã?

Confirme os seus dados pessoais

Para finalizar o processo, preencha por favor os dados seguintes

ramona

ramona

Reportado

Eu pensava que as maquinas de fazer pão gastavao muita energia e por isso ainda nao comprei.... gostaria de saber se e bem verdade que gasta tao pouco de energia : Obrigado

  • Reportar
filirod

filirod

Reportado

Eu sou fã, especialmente porque a minha máquina é programável, e posso por a fazer o pão ás 7 da manhã que quando me levantar está quentinho...

  • Reportar
lina100

lina100

Reportado

Concordo plenamente. Tenho pena, porque trabalho por turnos, de não conseguir fazer pão fresco todos os dias. É sim um bom investimento e o custo da minha máquina já foi totalmente reposto pelo valor do pão que não comprei fora. Já agora, podem utilizar farinha tipo 65 do Pingo Doce ou Intermarché mas têm que adicionar fermento seco ou fresco (compro na pastelaria, divido em porções de 20 gr.- que serve para 500 gr. de farinha- e como tem prazo de validade congelo).

  • Reportar
Casa Margarida