O que é um dentífrico?

O que é um dentífrico?

O dentífrico ou pasta de dentes é um “creme” com vários ingredientes, usado para higienizar os dentes, sempre em conjunto com uma escova de dentes.


A mais antiga referência, que se conhece, sobre um dentífrico está em manuscrito egípcio datada no século IV a. C., onde se definia como uma mistura de sal, pimenta, folhas de menta e flores de íris. Apesar disso, a pasta de dentes não chegou ao uso geral até ao século XIX.
No início do século XIX, a escova de dentes era normalmente usada apenas com água, mas rapidamente as misturas caseiras (cinzas de casco de vaca, cascas de ovos queimadas, ossos triturados, conchas de ostras, carvão em pó, casca de árvore e sal) ganharam popularidade.
As pastas de dentes só surgiram em 1859, quando o dentista norte-americano Washington Sheffield, inventou um pó branco para ajudar na limpeza dos dentes. Seu filho, Lucas Sheffield, decidiu modificar a fórmula original, colocando-a dentro de tubos.
Atualmente, as pastas são comercializadas em tubos flexíveis e em embalagens projetadas para ficarem sempre em pé, permitindo que a pasta seja melhor aproveitada.

Qual a composição de um dentífrico?

1. Agente terapêutico- FLÚOR (Fluoreto de sódio)
O flúor fortalece o esmalte dentário prevenindo assim a cárie dentária. Torna-o mais resistente, reduzindo o ataque ácido produzido pelas bactérias da placa bacteriana.

2. Espessantes (Carbômero 956, carregenina, carboximetilcelulose de sódio)
São compostos que deixam a pasta de dentes com a textura de gel, fazendo com que a pasta tenha um aspeto espesso e viscoso.

3. Detergente (Lauril sulfato de sódio)
Composto que é adicionado para fazer espuma.

4. Abrasivos (Sílica hidratada, mica, bicarbonato de sódio)
São minúsculos cristais adicionados à composição da pasta que funcionam como uma espécie de “lixa” sobre o esmalte dentário, removendo pequenas manchas e impurezas, provocando um pequeno polimento dentário.

5. Corantes (D&C amarelo 10 e vermelho 30, azul brilhante FCP, dióxido de titânio)
São os corantes sintéticos que dão cor à pasta de dentes, no caso do dióxido de titânio é o que deixa a pasta branquinha.

6. Humectantes (Propileno glicol, polietileno glicol 8 e 12)
São eles que dão uma textura húmida e evitam que a pasta seque.

7. Conservantes (benzoato de sódio)
Os dentífricos ficam expostos por um período de tempo, assim necessitam de conservantes para evitar a proliferação de micro-organismos.

8. Emulsificantes (glicerol, cocamidopropil betaína)
São compostos químicos que permitem que todos os ingredientes utilizados na pasta de dentes se misturem de forma uniforme, evitando que se separem.

9. Edulcorantes (sacarina sódica, sorbitol)
Substâncias adoçantes que dão sabor à pasta de dentes.

Existem diferenças na abrasividade dos dentífricos?

Existem dentífricos com abrasividade baixa, média e alta. Mas um abrasivo é fundamental para garantir a limpeza e o polimento dentário. Recomenda-se para uso diário a utilização de um dentífrico de baixa abrasividade. No caso do bicarbonato de sódio que é mais abrasivo, apesar de neutralizar os ácidos da placa bacteriana, deve ser usado com a presença de flúor no dentífrico.
A erosão ácida e abrasão dentária (desgastes nos dentes) podem surgir mas normalmente estão mais relacionadas com a técnica de escovagem, o tipo de escova e as substâncias ácidas (refrigerantes, alimentos ácidos) consumidas diariamente, do que com o poder intrínseco do abrasivo.

Registration

Torne-se membro do Para Mim e beneficie de ofertas exclusivas

Torne-se Membro

Qual a função do dentífrico?

A forma mais fácil e eficaz de prevenção dos problemas orais consiste na remoção mecânica da placa bacteriana. Além da utilização dos meios mecânicos de higiene oral (escovagem, fio dentário e outros acessórios) as medidas comuns de controlo da placa bacteriana incluem a utilização de dentífricos.
Os dentífricos não são substitutos dos meios mecânicos de higiene oral, mas existem para permitir um maior controlo da placa bacteriana, das doenças da gengiva e mesmo da cárie dentária, dependendo do agente ativo na sua composição. É importante perceber que mesmo usando um dentífrico adequado às suas necessidades, este não vale de nada, se não escovar corretamente os dentes pelo menos 2 vezes ao dia e durante 2 minutos, mantendo desta forma os dentes e gengivas saudáveis.

Que quantidade de dentífrico deve-se usar?

A DGS (circular normativa nº1/DSE de 18/01/05) recomenda o uso de pasta fluoretada de 1000 a 1500 ppm (parte por milhão) logo após a erupção do 1º dente, utilizando uma quantidade mínima de pasta (passar apenas a pasta pelas cerdas da escova).
Entre os 3 e os 6 anos de idade, a quantidade de pasta (1000-1500) a utilizar deve ser idêntica ao tamanho da unha do 5º dedo da criança e a escovagem deve ser sempre supervisionada pelos pais.
A partir dos 6 anos a quantidade de pasta a utilizar deverá ser equivalente ao tamanho do grão de ervilha (1cm).
A pasta de dentes deve ser sempre cuspida, por isso se recomenda a supervisão dos pais na escovagem, até as crianças terem a capacidade de cuspir.
Se ingerir (engolir) uma grande quantidade de pasta pode causar náuseas, vómitos, diarreia (intoxicação por flúor). Se uma criança ingerir um tubo de pasta de dentes pode levar à morte.

Que tipos de dentífricos existem?

Existem muitas variedades, com diferentes sabores e texturas e vários agentes ativos na sua composição.

Dentífricos anti cárie: dentífrico com flúor para prevenção da cárie dentária (1000-1500ppm). Quando existe um risco elevado de cárie dentária, há dentífricos que contêm 2500 ppm de flúor.

Dentífricos infantis: dentífricos com menos dosagem de flúor (250 a 600ppm), mas com sabores mais atrativos (fruta, pastilha elástica) para as crianças. Tem demonstrado menos eficácia contra a prevenção de cáries.

Dentífricos anti placa (para gengivas): dentífricos que contêm substâncias antimicrobianas, inibem o crescimento bacteriano, indicado para quem têm problemas gengivais.

Dentífricos anti tártaro: dentífricos que interferem na formação do tártaro. O tártaro só pode ser removido por um profissional de saúde oral, não é possível remover em casa, e o que se pode fazer é prevenir e impedir essa formação.

Dentífricos para sensibilidade dentária: dentífrico para dentes sensíveis. Quando os canalículos da dentina ficam expostos, estão sujeitos às agressões do meio externo como calor, frio ou pressão e o nosso organismo responde com dor. A pasta possui como ingrediente ativo, para além do fluoreto de sódio, o nitrato de potássio, citrato de potássio ou o cloreto de estrôncio associados ou não. Estes ingredientes obstruem os canalículos, protegendo-os e evitando que os estímulos do meio externo provoquem dor.

Qual o dentífrico a escolher?

Como já foi referido, existe uma grande variedade de dentífricos adequados a diferentes situações clinicas, incluindo cárie dentária, gengivite, tártaro, dentes manchados e sensibilidade.
De um modo geral, a indicação é o uso de uma pasta fluoretada com 1000-1500ppm. No entanto, é importante usar um dentífrico que seja indicado para cada caso. Deve perguntar ao seu dentista/higienista qual a pasta mais adequada para si.

Maria João Seia, Higienista Oral, APHO

Confirme os seus dados pessoais

Para finalizar o processo, preencha por favor os dados seguintes