A GRAVIDEZ E A INCONTINÊNCIA URINÁRIA

A GRAVIDEZ E A INCONTINÊNCIA URINÁRIA

São tantas as novas experiências e desafios que a chegada de um bebé traz! Vamos falar-lhe aqui de um dos desafios que muitas mamãs enfrentam, mas de que poucas ousam falar: a bexiga sensível. Descubra quais são as causas e como se pode tratar e controlar para que se possa concentrar no verdadeiramente importante: o seu bebé.


Descubra quais são as suas causas e como pode lidar com ela.

Por que é que a gravidez pode causar incontinência?

Como sabe, se já esteve grávida, a zona pélvica alarga-se durante o parto para facilitar a saída do bebé e, ao alargar-se, também os músculos do pavimento pélvico se distendem. Esta distensão pode enfraquecer a musculatura pélvica, afetando o controlo da bexiga. Por isso, se já sofre de bexiga sensível, a gravidez e o parto podem agravar os sintomas.

Existem igualmente outros fatores que podem aumentar os riscos de desenvolver problemas de incontinência urinária relacionada com a gravidez, como por exemplo estar grávida de um bebé muito grande ou ter um longo trabalho de parto ou um parto vaginal difícil.

Ah, o seu parto foi de cesariana? De acordo com os especialistas, até mesmo neste caso ainda é possível sofrer de bexiga sensível, pelo simples facto de carregar o seu bebé durante a gravidez, uma vez que só o peso do bebé pode enfraquecer a musculatura pélvica.  

Os sintomas da incontinência após a gravidez

Se os seus músculos do pavimento pélvico já se encontram enfraquecidos, pode ter perdas de urina ao tossir, espirrar, levantar-se, rir ou fazer exercício, e pode sentir igualmente a necessidade urgente de esvaziar a bexiga com mais frequência. Um outro sintoma é acordar frequentemente durante a noite para ir à casa de banho, ou sofrer algumas "fugas" enquanto dorme.

O que posso fazer para fortalecer os músculos do pavimento pélvico?

Não se preocupe se nos primeiros meses pós-parto ficar um pouco desesperada com esta situação, mas pense que é preciso dar tempo ao seu corpo para se “curar”. A situação melhora geralmente entre 6 meses a um ano após o parto, de modo que à medida que os dias vão passando, irá notar melhorias. Também pode exercitar e fortalecer os músculos do pavimento pélvico com uma rotina de exercícios que lhe devolverão o controlo sobre os seus músculos e a força para se "aguentar".

Lembre-se igualmente que nas primeiras semanas após o parto qualquer atividade ou movimentos que exerçam pressão na bacia ou "empurrão para baixo" podem provocar uma maior distensão do pavimento pélvico. Para proteger a sua musculatura pélvica, siga os conselhos seguintes:

•   Aperte e contraia os músculos do pavimento pélvico antes de espirrar, tossir, assoar o nariz ou levantar um objeto que tenha algum peso
•   Cruze as pernas e aperte-as firmemente uma contra a outra antes de tossir ou espirrar
•   Não levante objetos pesados
•   Evite os exercícios que exijam uma pressão ou distensão ao nível da bacia.

Se, passados seis meses, não notar um melhor controlo da sua bexiga, fale com o seu médico. Ele ou ela poderá aconselhar-lhe outras opções e receitar-lhe tratamentos alternativos para resolver o problema, ou até mesmo explorar outras possíveis causas para a incontinência urinária de que está a sofrer.

Gostou deste artigo? Esperamos que sim! Faça “Gosto” ou deixe-nos um comentário. Talvez também lhe interesse visitar a nossa secção de gravidez

Registration

Torne-se membro do Para Mim e beneficie de ofertas exclusivas

Torne-se Membro

Confirme os seus dados pessoais

Para finalizar o processo, preencha por favor os dados seguintes

Casa Margarida