Cuidados na gravidez

Cuidados na gravidez

Saiba o que deve fazer para evitar certos riscos...


“O cuidar da gravidez” começa por “planeá-la”, o que significa parar o método contraceptivo e programar a consulta preconcepcional.

Então e para que serve a consulta preconcepcional?

Serve para avaliar o nosso estado de saúde, o estilo de vida, os nossos hábitos e algumas características importantes como o grupo de sangue, o peso e o índice de massa corporal, os antecedentes de doença, os antecedentes familiares, as vacinas, o tipo de alimentação, a actividade física e os hábitos mais nocivos de cada uma de nós (tabaco, álcool e outras drogas).

Depois dessa consulta, que pode ser realizada no ginecologista/obstetra ou no médico de medicina geral e familiar e depois da realização de alguns exames pedidos pelo médico vamos iniciar a toma do acido fólico (suplemento fundamental para prevenir algumas malformações do tubo neural fetal que se faz desde a decisão de engravidar até às 20 semanas) vamos retomar a vida normal estando atentas a alguns sinais, dos quais o mais importante será a falta da menstruação.

Vamos então fazer o teste de gravidez. Se este estiver positivo começa então a grande aventura!

Esta aventura pode ser uma experiencia única e extremamente gratificante mas pode ser muito perturbadora e traumatizante; tudo depende do desejo de engravidar e das expectativas de cada uma de nós.


Vamos começar por marcar uma consulta nas primeiras 8 semanas para programar o rastreio combinado do 1º trimestre para despiste das malformações mais frequentes (que consiste numa ecografia e análises); nesta fase da gravidez, para além dos cuidados alimentares: alimentação polifraccionada, composta por todos os alimentos da roda de alimentos, ingestão de líquidos em quantidade suficiente, cuidados com a toxplasmose (se não for imune) , os restantes cuidados consistem em continuar a tomar o suplemento de acido fólico, tratar as náuseas e vómitos, se necessário, e continuar a praticar o exercício físico habitual desde que adequado.

E chegamos ao 2º trimestre, o que significa que a probabilidade de abortar começa a diminuir, já foi feito o rastreio do 1º trimestre, o que permitiu excluir as malformações mais importantes e perceber como está a evoluir a gravidez. Começam também nesta altura a diminuir os sintomas mais incómodos da grávida, tais como os enjoos matinais, a hipersensibilidade mamária e a necessidade imperiosa de estar sempre na casa de banho a urinar. É uma fase de relativa acalmia em que a grávida pode continuar com a sua vida normal. É por volta das 22 semanas – a metade da gravidez – que se faz a ecografia morfológica. Esta ecografia vem completar o rastreio ecografico das anomalias e fazer uma avaliação morfológica dos principais orgãos fetais. Mas para a futura mamã para além deste marco importante no diagnóstico a etapa que marca esta altura é o começar a ter a percepção dos movimentos fetais.

E de repente tudo muda, deixamos de ser uma e passamos a ser nós. Tudo fica mais fácil: se ele mexe (feto) é porque está tudo bem!

Registration

Torne-se membro do Para Mim e beneficie de ofertas exclusivas

Torne-se Membro


Os cuidados nesta fase mantêm-se; devemos continuar com a alimentação polifraccionada, beber muita água, não beber álcool, restringir ou abandonar o tabaco, manter os cuidados de higiene alimentar, não só devido à toxoplasmose como a outras doenças, continuar a prática de actividade física habitual, desde que compatível com a gravidez, dormir cerca de 7 / 8 horas por noite não fazendo grandes alterações do ritmo circadiano.

E chegamos ao 3º trimestre. Nesta fase, o feto vai começar a ganhar peso e a preparar-se para o nascimento e também a futura mamã. Para além de todos os cuidados descritos anteriormente, temos de ter atenção a possíveis sinais de ameaça de parto pré termo e a prepararmos o nosso parto.

Para quem vai ter o primeiro filho poderá ser importante fazer a preparação para o parto onde se adquirem não só dicas úteis na resolução de alguns sintomas incómodos na gravidez como ajudam a perceber o que se vai passar na altura do trabalho de parto e depois no período do pós - parto.

E assim...só falta escolher o local, programar as últimas consultas com o seu médico e fazer a mala para a Maternidade e boa sorte!

As suas dúvidas:

  • 1. O DIU tem uns fios muito finos que ficam cerca de 2 cm fora do colo do útero e que, ocasionalmente, pode ser sentidos pelo parceiro sexual. Apesar de não ter qualquer problema em termos contraceptivos pode pedir ao seu médico que lhe reduza o tamanho dos fios se isso for muito incomodo para o seu parceiro.
  • 2. A decisão de iniciar a toma dos CHC é muito importante e habitualmente não é necessário a realização de exames. Mas é muito importante uma conversa para avaliar os riscos e quais os beneficios que pode obter da toma da pilula, para alem do efeito contraceptivo. O local ideal para ter essa conversa será ou no seu ginecologista ou na consulta de planeamento familiar do seu centro de saúde, onde inclusivé, dispõe de algumas pilulas e outros métodos gratuitos. Dessa forma poderá iniciar a toma da pilula, se for esse o método escolhido para uma vida sexual segura e sem riscos.

Nota: Caso não leia aqui a resposta à sua questão, por favor consulte os artigos anteriores, onde esclarecemos as suas dúvidas.



*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico. ***

Confirme os seus dados pessoais

Para finalizar o processo, preencha por favor os dados seguintes