Incontinência

Incontinência

A incontinência urinária é um problema que afeta pessoas de ambos os sexos e de todas as idades. Apesar dos constrangimentos que acarreta, especialmente no reflexo negativo que tem na qualidade de vida de uma pessoa, o seu tratamento é possível.


Como se define a incontinência urinária?

Pode falar-se em incontinência urinária quando existe uma perda involuntária de urina. Nesse caso, a consulta de um médico é imprescindível para que seja realizado um diagnóstico correto, que confirme a existência do problema e o tipo de incontinência urinária.

Que tipos de incontinência urinária existem?

São três os tipos de incontinência urinária conhecidos e que podem ser diagnosticados:

Incontinência urinária de esforço – surge quando há um aumento da pressão no abdómen (quando espirramos, rimos ou tossimos, por exemplo). Neste caso, a incontinência apenas se manifesta se houver movimento ou esforço corporal.
Incontinência urinária por urgência – revela-se com uma extrema e repentina vontade de urinar. Este tipo de incontinência é mais problemático do que o anterior porque é mais imprevisível. É mais característico em pessoas idosas.
Incontinência urinária mista – como o nome indica, é a mistura dos dois tipos anteriores, apesar de um ser predominante em relação ao outro.

Testes

O seu médico pode querer avaliar a possibilidade de existir uma outra causa para a incontinência urinária. Nesse caso, o prognóstico será feito depois de realizados alguns exames:

Registration

Torne-se membro do Para Mim e beneficie de ofertas exclusivas

Torne-se Membro

Geral.
Pélvico.
À urina.
Ao sangue.
Ecografias aos rins e bexiga.

Existe tratamento

Apesar de ser uma condição geralmente associada ao envelhecimento, pode ser tratada (não é inevitável!). Depois de efetuado o diagnóstico é atribuída a terapêutica adequada.

Em declarações ao site Médicos de Portugal http://medicosdeportugal.saude.sapo.pt, o Dr. Paulo Vale, Presidente da Associação Portuguesa de Neuro-urologia e Uro-ginecologia (APNUG), refere os seguintes tratamentos:

Incontinência urinária de esforço ligeira – a reeducação vesico-esfincteriana apresenta bons resultados. Nos casos mais complicados existem técnicas cirúrgicas minimamente invasivas, que apresentam uma taxa de cura de 90%.
Incontinência urinária por urgência - a medicação com as novas moléculas de antimuscarínicos é bastante eficaz. Nos casos resistentes à terapêutica oral, a injeção intravesical de toxina botulínica apresenta excelentes resultados.

Para mais informações vá a www.apnug.pt, o site da Associação Portuguesa de Neurourologia e Uroginecologia.



*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico. ***

Confirme os seus dados pessoais

Para finalizar o processo, preencha por favor os dados seguintes