IDA AO GINECOGISTA - É A PRIMEIRA VEZ?

IDA AO GINECOGISTA - É A PRIMEIRA VEZ?

O check-up ginecológico levanta muitas dúvidas nas mulheres que devem fazê-lo pela primeira vez. Não se deixe influenciar pelos comentários: antes de formar uma opinião errada, deve saber em que é que consiste, quais os passos a seguir para o realizar e quando é que é aconselhável fazê-lo.


Este check-up tem como objetivo a prevenção de perturbações ginecológicas, a confirmação de que o seu aparelho genital é normal e a orientação e aconselhamento relativamente à contraceção, se necessário. Na consulta far-lhe-ão uma série de perguntas para conhecerem o seu historial médico e, entre outras coisas, poderão perguntar-lhe o seguinte:

  • Com que idade teve o seu primeiro período
  • Qual o intervalo de tempo entre os períodos.
  • Se as suas perdas são ligeiras, moderadas ou abundantes.
  • Se usa pensos higiénicos, tampões ou ambos.
  • Em que dia começou o seu último período.
  • Se tem relações sexuais.
  • Se for esse o caso, a idade em que as iniciou, o número de parceiros que teve, se tem atualmente um parceiro estável e o método contracetivo que utiliza.
  • Se já engravidou.
  • Se na sua família existem antecedentes de doenças graves.
  • Doenças que os seus pais e irmãos tiveram.
  • Se teve alguma doença grave, de um modo geral.
  • Se já foi operada.
  • Se é alérgica a algum medicamento.


Quando é que é preciso ir ao ginecologista pela primeira vez?

Embora não exista uma idade específica para a primeira ida ao ginecologista, o normal é ir:

  • Quando surgem os primeiros sinais de amadurecimento dos órgãos sexuais.
  • Com o aparecimento da primeira menstruação (menarca).
  • Quando se iniciam as primeiras relações sexuais.
  • Quando se deteta alguma perturbação nos órgãos genitais ou alterações do fluxo vaginal.

Depois, o ginecologista indicar-lhe-á de quanto em quanto tempo deverá fazer um check-up. Em geral, se tiver relações sexuais, é recomendável fazê-lo uma vez por ano.


O que faz o ginecologista na primeira consulta?

A primeira vez que se tem uma consulta com o ginecologista, o que geralmente se faz é o seguinte:

  • Uma apalpação dos seios.
  • Se tem relações sexuais:
    • uma observação do colo do útero
    • uma observação dos órgãos genitais externos e da vagina.

Para a observação do colo do útero, faz-se uma recolha de células para determinar o estado em que se encontra. É isto que se chama citologia. Para a recolha da citologia utiliza-se um espéculo, que é um separador das paredes vaginais, para que o ginecologista consiga observar o colo do útero.

Evax_Salvaslips_Normal_Protegeslips_flujo_vaginal_SI10
Evax Salvaslip Pensos diários
(18)

Descobre os pensos Evax CottDescobre os pensos diários mais flexíveis da Evaxonlike Noite

Descubra agora!


Qual é a frequência com que se deve ir ao ginecologista?

É muito importante que a mulher que tem relações sexuais vá periodicamente ao ginecologista. Em primeiro lugar, para prevenir qualquer alteração do sistema genital e, em segundo lugar, para esclarecer dúvidas sobre sexualidade e contraceção (métodos contracetivos). Qualquer alteração ou irregularidade do ciclo menstrual deverá ser objeto de consulta com o ginecologista.


Que alterações e variações tem o fluxo menstrual ou vaginal?

O interior da vagina é revestido por uma membrana mucosa, que segrega o fluxo vaginal, cuja função consiste em manter a humidade. O fluxo vaginal pode ter diferentes aspetos (transparente, branco ou amarelado) e a sua consistência também varia muito, desde praticamente líquido a muito espesso. O aspeto e a quantidade do fluxo variam de mulher para mulher, assim como na mesma mulher, dependendo da fase do ciclo em que se encontra. De uma forma geral, é mais abundante e transparente nos dias da ovulação e menos abundante (ou quase inexistente) e mais espesso nos dias tanto anteriores como posteriores ao período.


Quais são os benefícios do fluxo vaginal?

O fluxo vaginal é necessário e benéfico por diversos motivos:
• Evita que a vagina fique seca.
• Favorece o equilíbrio da microflora vaginal.
• Atua como uma barreira face a possíveis infeções vaginais.
• Serve como lubrificante natural durante as relações sexuais.
• Mantém o pH da vagina estável, entre os 4.0 e 4.5.


Deve-se prestar atenção ao fluxo vaginal?

Considera-se que o fluxo é anormal quando provoca ardor ou comichão ou cheira mal. Em todos estes casos, é conveniente consultar um ginecologista, já que estas alterações podem, por vezes, ser provocadas por uma inflamação da vulva ou infeção vaginal que pode ser facilmente controlada com o tratamento adequado. Uma grande quantidade de fluxo vaginal pode ser normal, por isso não é necessário preocupar-se.

Gostou deste artigo? Esperamos que sim! Clique no “Gosto” ou deixe-nos o seu comentário. 

Confirme os seus dados pessoais

Para finalizar o processo, preencha por favor os dados seguintes